Notícias

14/07/2015 08:49 / Atualizado em 14/07/2015 08:49

minuto(s) de leitura.

Projeto-piloto de segurança bancária será estendido a mais duas cidades

Na reunião da mesa temática de Segurança Bancária, ficou definido que Belo Horizonte será uma das contempladas e a Fenaban vai indicar a outra localidade. Os representantes dos bancários reivindicaram também o aperfeiçoamento do projeto

Fenae Net

Em reunião realizada nesta segunda-feira (13), em São Paulo (SP), a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) aceitou a reivindicação dos bancários de realização de dois novos projetos de segurança bancária, nos moldes da experiência realizada em Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes, todas em Pernambuco. Por indicação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), será contemplada Belo Horizonte (MG) e a Fenaban indicará outra cidade. Ainda não há previsão de início das novas ações.

Além do andamento e a ampliação do projeto-piloto de segurança bancária, durante a mesa temática, que contou com a participação de representantes da Contraf/CUT e da Fenaban, foi debatida a estatística semestral de assaltos a bancos referentes ao segundo semestre de 2014 e primeiro de 2015.

Segundo a Fenaban, os números de "assaltos consumados" foram 385 no segundo semestre de 2014 e 191 no primeiro semestre de 2015. Em 2013 o total de assaltos foi de 449. "Na nossa avaliação, a estatística apresentada pela Fenaban não corresponde à realidade. Os dados são conflitantes com os que temos. Segundo informações que dispomos, para se ter uma ideia, no primeiro semestre de 2015 no Ceará ocorreram 11 assaltos, em Pernambuco 31", afirma Gustavo Machado Tabatinga Júnior, secretário de políticas sociais da Contraf/CUT e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária.

Reivindicações
Os representantes dos bancários reivindicaram a abertura remota das agências ou a contratação de empresa para a guarda das chaves e ainda a ampliação do projeto-piloto de segurança nas agências de negócio e localizadas em shoppings.

Foi solicitado também o aperfeiçoamento do projeto-piloto em Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes. A ausência de uma cobertura global, que inclua agências de negócios, PABs e unidades localizadas em shoppings centers, tem prejudicado seriamente o projeto e fragilizado a segurança. O Ministério Público deu 15 dias, a partir do dia 5 de julho, para a Fenaban e 30 dias para Prefeitura para que elas voltem a fiscalizar essas agências.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado