Notícias

15/06/11 08:20 / Atualizado em 15/06/11 08:21

minuto(s) de leitura.

Pesquisa do Dieese revela que pisos salariais superam inflação, apesar de valores ainda baixos

Fenae Net

Uma constatação de pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese): a maioria dos pisos salariais negociados por diversas categorias profissionais em 2010 conseguiram superar a inflação do período, alguns com aumentos reais significativos, mas os valores conquistados ainda são muitos baixos. O estudo foi elaborado com base em 660 pisos reajustados no ano passado.

O balanço do Dieese revela que, em 2010, quase um terço dos pisos tinha valor de até R$ 550,00, enquanto pouco mais da metade não ultrapassava o patamar de R$ 600,00. Pisos superiores a mil reais correspondiam apenas a 6%. Se, por um lado, segundo o Dieese, observa-se um quadro positivo de valorização dos pisos salariais via aumentos reais, por outro é notável como ainda são baixos os salários de entrada de boa parte dos trabalhadores brasileiros.

Dos 660 pisos pesquisados, 619 (93,4%) superaram a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo IBGE e normalmente usado como parâmetro nas negociações salariais. Mais números: 19 (2,4%) pisos foram equivalentes ao INPC e 25 (3,8%) ficaram abaixo da inflação.

Entre os setores, 94,9% dos pisos da indústria superaram o INPC, ante 94,7% no comércio, 90,6% nos serviços e 100% ma área rural. O Dieese esclarece que grandes categorias tem se mobilizado para incorporar às negociações salariais aumentos reais no piso, mas isto se restringe, por enquanto, aos bancários, petroleiros e metalúrgicos.

Em 2010, informa o Dieese, o maior reajuste de piso salarial representou ganho real de 34,3%. O menor, em contrapartida, teve perda real de 8,6%. Ambos foram no setor industrial.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado