Notícias

Filme na imprensa  16.07.jpg

16/07/2020 17:52 / Atualizado em 16/07/2020 19:17

minuto(s) de leitura.

'Não Toque em Meu Companheiro' é sucesso de crítica na mídia

Documentário coproduzido pela Fenae foi lançado nesta quarta-feira (15) em plataformas streaming

Lançado nesta quarta-feira (15) em plataformas de streaming, o documentário 'Não Toque em Meu Companheiro' tem recebido críticas elogiosas da mídia. Como a do jornalista de O Estado de S. Paulo Luiz Carlos Merten, publicada no suplemento de cultura do veículo na edição desta quinta-feira (16), o Caderno2, que classifica o longa metragem como "o mais clássico da autora", a cineasta Maria Augusta Ramos, mais conhecida como Guta Ramos.  

O filme, coproduzido pela Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), é um símbolo de resistência ao obscurantismo em vigor em duas frentes: valorização da produção audiovisual brasileira e do movimento sindicalista. Duas áreas que têm sido sistematicamente atacadas pelo governo de extrema-direita que por ora governa o Brasil.

'Não Toque em Meu Companheiro', na avaliação de Merten, narra "um momento histórico, épico do sindicalismo brasileiro". A obra reconstrói a história de luta e solidariedade dos empregados da Caixa durante a greve dos bancários em 1991. Leia a crítica do Estadão aqui

Em tela, a narrativa sobre a perseguição e demissões injustas de 110 empregados que decidiram manter a paralisação e lutar pelos direitos da categoria. Durante mais de um ano, estes trabalhadores e suas famílias sobreviveram graças à união e solidariedade de colegas do banco, que se mobilizaram para amparar financeiramente os demitidos, até que fossem reintegrados à Caixa, em 1992.

A revista Piauí também teceu elogios ao filme. Na seção questões cinematográficas, Eduardo Escorel ressalta que o documentário "arma um painel crítico amplo e diversificado das políticas neoliberais do governo Collor e do atual, indicando conexões existentes entre ambos". Leia a crítica da Piauí aqui.

O site especializado Adoro Cinema classificou o documentário como bom e o concedeu 3,5 estrelas. A crítica destaca o desenrolar da trama até chegar ao cenário político atual. "Assistir às semelhanças dentre os governos democráticos de forma tão cristalina é impactante - especialmente pelo fato de a diretora não forçar a comparação. Elas estão ali para todo mundo ver, basta prestar atenção", ressalta. Leia a crítica do Adoro Cinema aqui.

O site Papo de Cinema também destaca o recurso narrativo adotado pela diretora para articular o passado e o presente. "Por um lado, as imagens em vídeo das greves na Caixa soam distantes de nós pela qualidade da imagem, pela textura do preto e branco contrastado, pela imagem dos grevistas envelhecidos três décadas mais tarde. No entanto, a comparação entre este episódio e os trabalhadores precários da atualidade, exemplificados pelos motoristas de aplicativos, permite atestar que a situação não mudou". Leia a crítica do Papo de Cinema aqui.

Como assistir 

"Não Toque em Meu Companheiro" poderá ser assistido em cinco plataformas de streaming aos preços de R$ 6 (FilmeFilme), R$ 6,45 (Vivo Play), R$ 7,45 (Net Now), R$ 9,99 (Looke) e R$ 12,90 (Oi Play). Em breve, o documentário também estará no iTunes (R$ 14,90) e no Google Play (R$ 6,90). Para os trabalhadores da Caixa, o filme terá acesso gratuito no período de 16h às 19h do próximo domingo (19).

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado