Notícias

11/12/15 10:41 / Atualizado em 14/12/15 08:15

minuto(s) de leitura.

Movimento Solidário entrega doações a comunidades carentes de Belágua (MA)

Solenidade do dia 13 de dezembro é dirigida a mais de mil pessoas que serão beneficiadas em regiões carentes, com cestas básicas, kits de material escolar e brinquedos

O Movimento Solidário, programa de responsabilidade social da Fenae, do Grupo PAR e da PAR Corretora de Seguros, realiza neste final de semana a entrega de doações para comunidades carentes de Belágua (MA). Elas foram arrecadadas em ação interna que envolveu os empregados da Federação e das empresas, bem como de alguns parceiros. Uma solenidade será realizada no domingo (13), às 10h30, no Centro Social do município, distante 280 quilômetros de São Luís.

O Comitê formado por membros da Federação e das empresas fará uma entrega simbólica de um cheque do valor das doações e conhecerá uma das comunidades contempladas com as ações do Movimento Solidário. Além das doações, empregados da Fenae, do Grupo PAR e da Par Corretora, adotaram mais de 300 cartinhas de crianças de 8 comunidades endereçadas ao Papai Noel.

No total, mais de mil pessoas serão beneficiadas, sendo 600 crianças que receberão os kits de material escolar; 300 famílias atendidas com cestas básicas, 515 famílias atendidas com filtros de barro, 600 kits de higiene, 300 brinquedos e cerca de 300 pares de chinelos.

Estarão presentes na solenidade de entrega, Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae, Natascha Brayner, diretora de Comunicação da Fenae, Giselle Menezes, presidente da APCEF-MA, Nizete Queiroz, vice-presidente da APCEF-MA, Hugo Scartezini, presidente  da Par Relacionamento, Milen Baqui, gerente executiva da Par Relacionamento, Fabio Lacerda, gerente executivo de administração de finanças da Par Participações, Cristina Leal, diretora de gente e gestão da Corretora, Ana Kozlowsi, gerente executiva de gente da Corretora, Denise Viana Alencar, analista de responsabilidade social da Fenae.

Do diagnóstico inicial feito pelo Comitê de Responsabilidade Social, foram definidas as seguintes prioridades entre as famílias que iriam receber a assistência mais imediata: as que tinham entre seus membros gestantes, crianças, idosos e deficientes. Das áreas mapeadas para atuação prioritária no projeto, foram tomadas as seguintes medidas: em segurança alimentar, distribuição de cestas básicas e estabelecimento de parcerias com o Plano Mais IDH do Estado do Maranhão, voltado para a capacitação das famílias atendidas pela Fenae.

Para atender as necessidades em saúde, foram arrecadadas doações de filtros para amenizar os efeitos de verminoses e de doenças relacionadas à falta de água potável. Os lotes com 600 kits de higiene e de material escolar, atenderão às necessidades relacionadas à cidadania, habitação e saneamento básico.

Para 2016, estão previstas ações nas áreas de Educação, Inclusão Digital e Cultura e de Geração de Trabalho e Renda, para um público-alvo de 10 comunidades carentes.

Movimento Solidário em Belágua

O município maranhense foi escolhido, em abril de 2015, para receber as ações do Movimento Solidário, por decisão do Conselho Deliberativo Nacional da Fenae. A indicação levou em conta, além do baixo IDH, critérios como população e dificuldade de acesso. A desnutrição infantil e a falta de água potável são alguns dos graves problemas. A cidade tem cerca de 7.200 habitantes, segundo o IBGE, e está entre as 200 mais pobres do país, com IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) de 0,512, ocupando a 94ª posição.

Duas semanas após a visita a Belágua (julho de 2015) dos diretores da Fenae Jair Pedro Ferreira e Natascha Brayner, além da analista de Responsabilidade Social e Empresarial, Denise Viana, para apresentar o programa ao governador Flávio Dino, secretários estaduais, ao prefeito de Belágua, Adalberto Rodrigues, e gestores municipais foi iniciado o mapeamento dos povoados e a identificação das potencialidades do local.

Programa Movimento Solidário


O Movimento Solidário existe desde 2005 e atuou durante nove anos em Caraúbas do Piauí, que tinha o 18º pior IDH do Brasil e se desenvolveu bastante no período.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado