Notícias

25/05/2012 09:11 / Atualizado em 25/05/2012 09:24

minuto(s) de leitura.

Marcha das Vadias: mulheres protestam contra a violência sexual em todo o mundo

Movimento luta pelo fim da culpabilização das vítimas de violência sexual. Com esse objetivo, 14 cidades brasileiras vão realizar protestos neste sábado (26), com participação de milhares de mulheres, homens e crianças

Fenae Net

A Marcha das Vadias é um movimento que luta pelo fim da culpabilização das vítimas de violência sexual. Neste ano, 14 cidades brasileiras vão realizar a marchas neste sábado, dia 26 de maio. Veja aqui o calendário completo http://marchadasvadiasbr.wordpress.com/calendario/

A expectativa é reunir milhares de mulheres, homens e crianças pelo fim da violência contra a mulher, por seu direito de ir e vir sem sofrer nenhum tipo de humilhação, repressão ou violência. As marchas estão sendo organizadas por coletivos regionais independentes, com a ajuda das redes sociais.

Violência
O manifesto da marcha organizada no Distrito Federal menciona diversos motivos para a sua realização, dos quais se destacam os seguintes: no Brasil, aproximadamente, 15 mil mulheres são estupradas por ano e, mesmo assim, nossa sociedade acha graça quando um humorista faz piada sobre estupro; o Brasil ocupa o 7 º lugar em homicídio de mulheres. E ainda: na nossa sociedade, homens são capazes de planejar e executar um estupro coletivo de seis mulheres como “presente de aniversário” (http://blogueirasfeministas.com/2012/02/blogagem-coletiva-repudio-ao-caso-de-estupro-e-assassinato-como-presente-de-aniversario/).

No mundo, a marcha chama a atenção para uma cultura que ensina a mulher a sentir culpa e vergonha pela expressão da sexualidade, e a temer que homens invadam corpos sem consentimento. Muitas mulheres ainda são responsabilizadas pela possibilidade de serem estupradas, quando são os homens que devem ser ensinados a não estuprar. 

A ideia da “Slutwalk” (o nome original da marcha, em inglês) surgiu no Canadá, em 2011. Na Escola de Direito Osgode Hall, em Toronto, um policial ministrava uma palestra sobre segurança para estudantes quando disse que as mulheres não deveriam se vestir como vadias (“sluts”) para evitar serem estupradas. Indignadas com a naturalização da ideia de que a culpa da violência é sempre da vítima, as mulheres decidiram reagir. Vestidas como putas, elas organizaram um manifesto e a notícia percorreu o mundo, inspirando outras mulheres que sofrem do mesmo problema. Veja o calendário das marchas que ocorrem pelo mundo: http://marchadasvadiasbr.wordpress.com/mundo/.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado