Notícias

IMG-20200506-WA0098_resize_59.jpg

06/05/2020 19:14 / Atualizado em 06/05/2020 19:38

minuto(s) de leitura.

Itaú, Santander e grupo BV fazem proposta de acordo

Acordos precisam ser aprovados em assembleias, que devem ocorrer até o dia 14 de maio

O Comando Nacional dos Bancários orientou, no dia 30 de abril, a aprovação dos três acordos com os bancos Santander, Itaú e Grupo BV. Em uma live realizada nesta quarta-feira (6), duas das coordenadoras do Comando, Juvândia Moreira e Ivone Silva, debateram o assunto com outros convidados.

O acordo com o Santander renovou, por dois anos, a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos funcionários e do Programa Próprio de Resultados Santander (PPRS). Com Itaú e Grupo BV, livraram os trabalhadores da aplicação dos pontos mais nocivos das Medidas Provisórias 927 e 936, que precarizam as relações de trabalho e retiram os sindicatos de negociações individuais, desprotegendo os trabalhadores.

“Os acordos feitos com os sindicatos têm muito mais garantia e dão mais tranquilidade para os trabalhadores. Nossa maior preocupação foi garantir a saúde dos trabalhadores, seu emprego e renda”, destaca Juvândia Moreira, presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf –CUT) e coordenadora do Comando Nacional dos Bancários.

Outro acordo com o Itaú é o compromisso do Banco em conversar com a Contraf –CUT e sindicatos antes de aplicar qualquer medida do Governo. Dos 86 mil trabalhadores, os sindicatos conseguiram fazer com que 50 mil trabalhassem em home office.

“Os trabalhadores têm visto a importância dos sindicatos diante dessas MPs. Uma coisa é você fazer acordo sozinho com seu patrão, outra é ter um sindicato que faça essa negociação coletivamente”, ressalta Ivone Silva, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo e também coordenadora do Comando.

O acordo com o Grupo BV Financeira garantiu, por 120 dias, a estabilidade de emprego para todos trabalhadores do Banco Votorantim e BV Financeira. Esses trabalhadores corriam grande risco de demissão com a aplicação das medidas provisórias.

Apesar da redução salarial para manutenção do emprego, permitida pela MP 936, o sindicato conseguiu um abono de compensação salarial. “Garantimos duas premissas com o Grupo BV: a manutenção do emprego e do poder de compra dos trabalhadores, ações importantes para que eles possam passar por essa pandemia com mais tranquilidade", destacou o secretário geral da Contraf-CUT, Gustavo Tabatinga.

Agora os acordos precisam ser aprovados pelos funcionários das três instituições financeiras. As assembleias serão virtuais e devem acontecer até o dia 14 de maio. Juvândia Moreira explica que o sistema é seguro, criptografado, que evita fraudes e garante o sigilo das informações. A presidenta da Contraf –CUT orienta os trabalhadores a entrarem em contato com seus sindicatos para saber como participar da votação.

A Contraf -CUT e os sindicatos divulgarão para suas bases as datas e os respectivos links para cada uma das assembleias.

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado