Notícias

11/10/2010 22:44 / Atualizado em 12/10/2010 18:41

minuto(s) de leitura.

Greve leva Caixa a propor 7,5% de reajuste linear, um delta de promoção e PLR extraordinária

Força do movimento obrigou os bancos a tratarem com seriedade as reivindicações dos trabalhadores, tanto na mesa da Fenaban como nas negociações específicas

A força da greve nacional dos bancários, com adesão em peso dos empregados da Caixa, obrigou os bancos a tratarem com seriedade as reivindicações da categoria, produzindo avanços significativos nas propostas para acordo, tanto nas discussões com a Fenaban como na mesa específica.

Nas negociações desta segunda-feira, em São Paulo, a Caixa apresentou proposta de reajuste de 7,5% linear para os salários, com mais um delta de promoção, que equivale a outros 2,3%.

A Caixa paga a PLR negociada com a Fenaban, que traz melhoria em relação a que foi paga no ano passado, e oferece ainda uma PLR Extraordinária, equivalente a 4% do lucro líquido, distribuídos de forma linear para todos os empregados. Para o lucro projetado de R$ 2,5 bilhões, os 4% equivalem a R$ 1.257,00 por empregado.

A PLR negociada com a Fenaban tem a seguinte composição: 90% do salário mais R$ 1.100,80, com teto de R$ 7.181 (regra básica) e parcela adicional de 2% do lucro líquido distribuídos linearmente, com teto de R$ 2.400,00. A aplicação na Caixa poderá implicar em um redutor, em função do patamar do lucro líquido projetado.

A PLR extraordinária com base no lucro projetado resulta em cerca de R$ 1.256,00 para cada empregado.

A proposta da Caixa prevê ainda, entre outros itens, elevação do piso da carreira administrativa (PCS de 2008) para R$ 1.600,00, mediante aplicação de 10,19% sobre o valor da referência 201 de 31/08/2010; acréscimo linear de R$ 39,00 em todas as referências do PCS de 2008, resultando em reajustes entre 8,4% e 10,19% nos valores da tabela; e enquadramento automático, após conclusão do contrato de experiência de 90 dias, dos empregados da carreira administrativa (PCS 2008) na referência 202 e dos empregados da carreira profissional na referência 802 de sua tabela.

Confira, a seguir, a íntegra do que foi proposto pela Caixa na mesa de negociações específicas:

1) Reajuste linear de 7,5% nos salários e em todas as verbas;

2) Elevação do piso da careira administrativa (PCS de 2008) para R$ 1.600,00, mediante aplicação de 10,19% sobre o valor da referência 201 de 31/08/2010.

3) Acréscimo linear de R$ 39,00 em todas as referências do PCS de 2008, resultando em reajustes variando de 8,4% a 10,19% nos valores da tabela.

3) Após conclusão do contrato de experiência de 90 dias, enquadramento automático dos empregados da carreira administrativa (PCS 2008) na referência 202 e dos empregados da carreira profissional na referência 802 de sua tabela.

4) Promoção por mérito: os empregados com no mínimo 180 dias trabalhados em 2009 e em condições de serem promovidos em 31/12/2009 serão promovidos em 1 referência a partir de 01/01/2010.

5) Concessão de uma referência , em 01/09/2010, aos empregados da carreira administrativa que se encontrem na referência 201 na data de 01/09/2010, desde que não se enquadrem nos itens 3 e 4.

6) PLR – Caixa se compromete a seguir a regra da Fenaban, conforme definido na mesa unificada de negociação.

7) PLR Extraordinária Caixa – equivalente a 4% do lucro líquido, distribuídos de forma linear para todos os empregados.

8) Elevação do valor do auxílio para escola especializada para filho deficiente, previsto no plano de saúde da Caixa, de R$ 150,00 para o mesmo valor do Auxílio Creche (R$ 261,33), mantendo-se as condições previstas no normativo vigente para seu recebimento.

9) Inclusão dos empregados, aposentados e pensionistas no programa de relacionamento para a redução dos juros do cheque especial, com a inclusão na faixa 6, na conta em que receba salário ou provento.

10) Isenção de anuidade dos cartões de crédito Mastercard e Visa nas modalidades existentes em 01/09/2010.

11) Ampliação da idade da criança adotada na licença adoção de 8 anos incompletos para 12 anos incompletos.

12) Ampliar para bimestral a frequência das reuniões dos comitês de acompanhamento do credenciamento e descredenciamento do Saúde Caixa.

13) Discutir o tema Plano de Funções Gratificadas (PFG) na mesa permanente.

14) Discutir o tema PSI na mesa permanente.

15) Formação de uma comissão paritária para discussão das pendências relativas ao SIPON, visando a adequação do sistema às exigências do Ministério do Trabalho e Emprego, em especial a Portaria 1510/09.

reconhecimento pela Contraf-CUT de que esse sistema atende à.

16) Incluir, para diagnóstico no PCMSO, os exames de mamografia e Papanicolau para as mulheres e, para os homens, de próstata, em caso de PSA alterado.

17) Desenvolver ação interna voltada para a saúde do homem.

18) Inclusão, como dependente direto do Saúde Caixa, do filho maior de 21 anos com deficiência permanente e incapaz.

19) Devolução dos valores descontados em decorrência dos dias parados pelas greves nos anos de 2007 e 2008, com a necessária extinção das ações judiciais sobre o tema.

20) Bolsa Graduação – ampliação de 4,6 mil para 5 mil bolsas.

21) Bolsa de idiomas – ampliação de 2,6 mil para 3 mil bolsas, priorizando as unidades localizadas em fronteira e unidades localizadas nas cidades-sede da Copa 2014.

22) Promoção por Mérito de 2010 – Caixa se compromete a definir os critérios para concessão dos deltas até dia 30/11/2010, com debate com os trabalhadores. A promoção será realizada até março de 2011 e será retroativa a janeiro de 2011.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado