Notícias

17/03/2016 08:12 / Atualizado em 17/03/2016 08:13

minuto(s) de leitura.

Empregados da Caixa se mobilizam para o Dia Nacional de Luta contra a reestruturação

Os atos ocorrerão no dia 24 de março. Os trabalhadores do banco estão indignados com as medidas adotadas pela direção da empresa de forma unilateral

Notícias

Os trabalhadores da Caixa já estão mobilizados para pressionar o banco a suspender o processo de reestruturação iniciado em 10 de março. Nesta quarta-feira (16), durante manifestações em Brasília e no Rio de Janeiro, eles demonstraram a insatisfação com as medidas adotadas pela direção da empresa e que estão preparados para o Dia Nacional de Luta convocado pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) para 24 de março, quinta-feira da próxima semana.

“Temos que mostrar, nas ações a serem realizadas por federações e sindicatos, toda nossa indignação com o formato dessa reestruturação. Mais uma vez, a categoria vai mostrar sua força”, ressalta a coordenadora da CEE, Fabiana Matheus.

Segundo o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, a falta de transparência tem deixado a categoria aterrorizada. “Esse processo está sendo colocado em prática de forma unilateral. Não houve diálogo com empregados e entidades representativas. Não podemos permitir esse desrespeito, nem prejuízos aos trabalhadores e retrocessos”, diz ele.

A orientação da CEE/Caixa é que federações e sindicatos realizem atividades, como retardamento de abertura de agências e paralisações. A comissão destaca a importância da participação de toda a categoria, a fim de cobrar, entre outros, a retomada das contratações e melhores condições de trabalho.

Atos

Nesta quarta-feira (16), em Brasília (DF), o Sindicato dos Bancários retardou por uma hora o funcionamento da entrada principal da Matriz I. A atividade reuniu dezenas de bancários. Representantes de sindicatos de outros estados também participaram da manifestação, a exemplo de Marcos Saraiva (Marcão), diretor do Seeb/CE. “Vivemos um momento de muita dificuldade que está deixando os empregados da Caixa no Nordeste apavorados. Temos que dar um basta e suspender imediatamente esse processo de reestruturação. Os empregados precisam de respeito e não é isso que está acontecendo”, destacou.

No Rio de Janeiro (RJ), foram realizadas paralisações no prédio da Avenida Almirante Barroso, bem como nas agências Rio Branco e Carioca, localizadas na mesma região. “Os colegas da Girec e de várias outras gerências, que estão sendo fundidas e extintas, já foram atingidos, e não vai parar por aqui. A gente precisa criar um movimento que vá muito além, parando o Brasil inteiro, e não só o Barrosão”, defendeu o presidente da Apcef/RJ e vice-presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, Paulo Matileti.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado