Notícias

rita_serrano_no_rio.

24/07/18 13:00 / Atualizado em 24/07/18 13:22

minuto(s) de leitura.

Defesa da Caixa 100% pública marca atividades de Rita Serrano no Rio nesta segunda-feira

Houve prestação de contas do mandato no CA para trabalhadores lotados nos departamentos do “Barrosão”, lançamento de livro e participação em evento do banco, quando foi anunciada a mudança da agência do Almirante Barroso para prédio que atende à demanda dos empregados

Em tempos que o governo golpista Michel Temer leva adiante o projeto de desmonte do patrimônio público nacional, atingindo indiscriminadamente empresas e bancos federais, foi em boa hora que a bancária Maria Rita Serrano, que representa os empregados no Conselho de Administração da Caixa Econômica Federal e coordena o Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, participou no Rio de Janeiro (RJ) nesta segunda-feira (23) de diversas atividades promovidas pelas entidades representativas.

O dia foi movimentado e começou pela prestação de contas do mandato no CA para trabalhadores lotados nos departamentos da agência Almirante Barroso, conhecido como “Barrosão”, palco de variadas mobilizações dos empregados.

Ali, na ocasião, Rita Serrano, que também é diretora da Fenae, marcou presença em evento da direção da Caixa, no qual foi anunciada a transferência da sede do “Barrosão”, no centro da cidade, para a Rua do Passeio, perto da Cinelândia, em um prédio próximo e aderente à demanda dos empregados. Essa vitória foi possível graças à ação combinada da Apcef e do Sindicato dos Bancários do Rio, que conseguiram sensibilizar o Conselho Diretor do banco. Como resultado disso, a Caixa abandonou a ideia de levar os serviços da agência Almirante Barroso para o Acqua Corporate, localizado na região portuária (Porto Maravilha) e considerado uma área de alto risco, sem segurança, sujeita a assaltos e tiroteios, sem restaurantes e com transporte público precário.

“Meu papel, na condição de representante dos empregados no Conselho de Administração, foi o de apenas entregar o abaixo-assinado elaborado pelas entidades representativas e solicitar a abertura de um processo de negociação entre o banco e os trabalhadores”, lembra Rita Serrano. Segundo ela, o evento ocorrido no “Barrosão” nesta segunda-feira reuniu, lado a lado, os vice-presidentes da Vipes, Marcos Jacinto, e da Vilog, Marcelo Prata, além de Paulo Matileti, presidente da Apcef e vice-presidente do Seeb cariocas. Diante do acordo firmado entre as partes, Rita Serrano comenta: “Os cariocas estão de parabéns. Lutar sempre vale a pena”!

A despeito de todo esse processo de pressão, vitorioso com a decisão anunciada de transferir a nova sede da Caixa no Rio, passando do Almirante Barroso para o Passeio Corporate, Matileti afirma que a solução foi negociada e demorou a ser adotada por quase um ano. “A mudança, contudo, não pode significar nenhuma demissão de terceirizados do “Barrosão”. É preciso cobrar ainda a manutenção do funcionamento das agências Rio Branco e Largo Carioca e do Centro Cultural, que funcionavam no local. A Caixa tem a obrigação de ser transparente em todo esse processo que envolve um dos prédios mais importantes da cidade”, adverte o dirigente, acrescentando: “Em respeito aos empregados e à própria sociedade carioca, o banco precisa também apresentar os valores dos custos desse projeto e os benefícios esperados”. 

Lançamento de livro 

Ainda nesta segunda-feira (23), durante as atividades de que participou no Rio de Janeiro, a representante dos empregados no Conselho de Administração da Caixa lançou livro de sua autoria, denominado “A Caixa, banco dos brasileiros”. A obra traz um resgate da história da instituição, desde a sua criação em 1861, e reafirma a necessidade premente de sua manutenção como empresa 100% pública voltada para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

“A Caixa é uma empresa centenária que deve continuar pública e a serviço dos brasileiros, E, nesse momento em que o risco de privatização é grande, torna-se fundamental conhecer o passado da instituição para fortalecer a luta presente de seus trabalhadores”, explica Rita Serrano.

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado