Notícias

19/12/14 07:34 / Atualizado em 19/12/14 07:42

minuto(s) de leitura.

CUT avalia que correção da tabela do IRPF reduz parte das perdas da classe trabalhadora

Entidade diz que instrumento é importante e essencial para melhorar o poder de compra dos trabalhadores, embora não seja suficiente diminuir o impacto do IR nos salários

Fenae Net

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) revela: a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), em 6,5%, aprovada nesta quarta-feira (17) no Senado, corrige parte da perda histórica de 61,42% acumulada na atual tabela, e beneficia principalmente os trabalhadores assalariados.

A avaliação é de que não correção da tabela pune o trabalhador duas vezes. Isto porque, além de ser tributado no salário, que não é renda os trabalhadores são punidos pela tributação indireta no consumo.

Para a CUT, a correção da tabela é essencial para melhorar o poder de compra da classe trabalhadora, mas não basta diminuir o impacto do Imposto de Renda nos salários.

Eis o que pensa a entidade: “O Brasil precisa fazer uma reforma tributária para acabar com a injustiça tributária no país. É preciso aumentar a progressividade da tabela, por meio de um número maior de faixas. Quem ganha mais, tem de pagar mais”.

“É preciso, ainda, que os lucros, ganhos de dividendo e herança sejam tributados, coisa que não acontece no Brasil”, diz a CUT.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado