Notícias

1703_Coronavirus_caixa_600x400.png

17/03/20 14:13 / Atualizado em 17/03/20 19:09

minuto(s) de leitura.

Coronavírus: Caixa negligencia trabalhador

Decisão do ministério da Economia em liberar saques do FGTS, expõe ainda mais bancários ao contágio do vírus

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou nesta segunda-feira (16) que injetará R$ 21,5 bilhões no FGTS para permitir que cotistas façam novos saques a partir desta quinta-feira (19).

Segundo o Governo, a medida é uma forma de suavizar os efeitos na economia da pandemia de coronavírus, mas se esquece dos milhões de bancários que terão que trabalhar em dobro nesse momento delicado.

Em todos os âmbitos da sociedade, a recomendação é única: ficar em casa e evitar aglomerações, exceto para os bancários da Caixa, que além de não terem a atividade de trabalho suspensa, terão que lidar com centenas de pessoas que vão se dirigir para agências e casas lotéricas.

A Fenae tem recebido diversos relatos de trabalhadores que estão em contato constante com pessoas doentes e que apresentam sintomas do coronavírus.

Mesmo após a confirmação do primeiro caso de empregado da Caixa com coronavírus, o banco limitou-se a afastar o trabalhador e colocar os seus colegas em trabalho remoto. Não há menção a nenhuma medida protetiva. O comunicado enviado pelo banco não fala sobre adotar o teletrabalho para os demais empregados das unidades administrativas nem se as unidades de atendimento ao público permanecerão abertas ou funcionarão em esquema especial.

A situação é grave e exige da Caixa uma solução imediata para o trabalho nas agências, principalmente para as mais de duas mil pessoas com deficiência contratados sem plano de Saúde e abandonadas pela direção do banco.

Enviamos ontem (16), um ofício ao banco para exigir a imediata inclusão dos seus trabalhadores no Saúde Caixa. Não há tempo a perder, as medidas precisam ser tomadas já!

Há outros questionamentos feitos por bancários ainda sem resposta:

1) Bancário teme por seus filhos, que estão em casa por conta do forçado recesso escolar, por ser ele próprio eventual portador do vírus que os atingirão. Afinal, está em contato com o público o dia inteiro.

2) Não dispondo de alguém para deixar filhos em razão de escolas e creches fechadas, outro indaga se pode ser dispensado da frequência diária à sua unidade ou realizar trabalho remoto.

3) Com a liberação de saques do FGTS, como fica a estrutura e atendimento, se necessário reforço na unidade, além de medidas de controle de acesso do público?

4) As casas lotéricas realizam, segundo balanço da Caixa de 2019, quase 30% de todas as transações bancárias. Sendo a responsável pelo credenciamento dessas correspondentes, que suporte A Caixa oferecerá a elas, dada a caracterizada concentração de clientes em reduzido espaço de atendimento das lojas?

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado