Notícias

22/04/10 09:36 / Atualizado em 22/04/10 09:38

minuto(s) de leitura.

Contraf/CUT e Fenaban retomam negociação sobre segurança bancária nesta quinta-feira

Bancários propõem medidas para as vítimas de assaltos e sequestros, como atendimento médico, psicológico e segurança ao trabalhador e sua família

Fenae Net

Nesta quinta-feira, dia 22 de abril, às 15 horas, em São Paulo (SP), a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) dão continuidade aos debates da mesa temática sobre segurança bancária. Na reunião de 6 de abril, os bancários propuseram medidas reparatórias para as vítimas de assaltos e sequestros, como atendimento médico, psicológico e segurança ao trabalhador e sua família.

A representação dos trabalhadores também propõe que, no caso de assalto a qualquer agência ou posto de atendimento, consumado ou não, o banco faça comunicação imediata à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) e ao sindicato local, com o fechamento do estabelecimento até que as condições de segurança necessárias sejam restabelecidas. Outra sugestão é de emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) a todos os funcionários que presenciaram o assalto, consumado ou não, bem como aos vitimados por sequestro ou extorsão.

Além das medidas reparatórias, a Contraf/CUT propõe outros temas para discutir com os bancos na reunião desta quinta-feira (22 de abril), como medidas indenizatórias, eliminação de riscos, adicional de periculosidade e segurança nos estabelecimentos, com a perspectiva de formular um plano de prevenção contra assaltos e sequestros.

Entre outras iniciativas, a Contraf/CUT também reivindica segurança nos estabelecimentos, com a instalação de portas de segurança com detector de metais em todas as agências e postos, câmeras de vídeo com monitoramento à distância e vidros blindados nas fachadas e fim do transporte de valores por bancários.

O diálogo e a busca de soluções eficazes são muito importantes para a categoria bancária. Nesse caso, a luta é para reduzir as ocorrências, eliminar riscos e proteger a vida de trabalhadores e clientes.

Saúde: outra mesa temática
Na retomada das discussões da mesa temática sobre saúde e condições de trabalho, cuja reunião ocorreu em 20 de abril, em São Paulo, os focos foram as questões relativas ao assédio moral e às metas abusivas. No encontro com os banqueiros, os bancários pautaram os pontos da pauta de reivindicações sobre saúde e condições de trabalho, que foram objetos de negociações durante a campanha salarial do ano passado.

No decorrer da campanha salarial 2009, as negociações entre bancários e banqueiros registraram avanços quanto à formulação de um programa de combate ao assédio moral nas agências bancárias. No entanto, algumas divergências impediram a aprovação da proposta ainda no ano passado.

Até o momento, no caso das metas, os bancos não mostraram qualquer disposição de negociar. Na reunião da última terça-feira, os representantes da Fenaban se comprometeram a avaliar as reivindicações dos trabalhadores em relação à saúde e condições de trabalho, ficando de apresentar uma posição no encontro agendado para o dia 5 de maio.

Calendário
Representantes dos trabalhadores e dos bancos já definiram as reuniões que serão realizadas nas demais mesas temáticas previstas pela Convenção Coletiva de Trabalho 2009/2010. Além do encontro sobre segurança bancária, a ser realizado nesta quinta-feira (22 de abril), o calendário ficou assim estabelecido: terceirização (dia 26 de abril), igualdade de oportunidades (dia 4 de maio) e saúde e condições de trabalho (dia 5 de maio).

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado