Notícias

fila_caixa_400.jpeg

13/04/20 19:24 / Atualizado em 13/04/20 21:03

minuto(s) de leitura.

CEE/Caixa reafirma necessidade do atendimento por telefone para evitar filas

A Comissão debateu ainda a necessidade de uma comunicação mais eficaz por parte da Caixa para informar a população sobre o auxílio emergencial

A Comissão Executiva de Empregados da Caixa (CEE/Caixa) debateu a necessidade de uma ação imediata da Caixa para informar a população e evitar as filas nas portas das agências. Em reunião na quinta-feira (09), por videoconferência, para debater a situação dos empregados da Caixa, a Comissão identificou as aglomerações em todos os estados e a movimentação segue nesta segunda-feira (13). A situação coloca em risco a saúde dos trabalhadores, terceirizados e da população. Na avaliação da Comissão, o atendimento por telefone é a melhor estratégia para evitar as filas.

O motivo do aumento das filas foram as dúvidas sobre o auxílio emergencial. Além dos questionamentos sobre o cadastro, muitos correram para as agências na tentativa de regularizar o CPF. A proposta da Comissão é implantação do atendimento por telefone, medida reivindicada também pelo Comando Nacional dos Bancários. A medida pode pôr fim as filas, que põem em risco a vida e a saúde da população, e dos trabalhadores que irão atendê-los em seguida, porque podem ser foco de contágio da Covid-19.

“O agendamento por telefone é o principal item para evitar aglomeração de pessoas e salvar vidas”, afirmou o coordenador do CEE/Caixa, Dionísio Reis.

A Comissão também está cobrando o cumprimento do rodízio semanal nas agências. A manutenção do trabalho remoto é essencial para preservar a vida e a saúde dos terceirizados, empregados e da população. A medida é fundamental para que a Caixa continue a fazer o atendimento à população sem entrar em colapso.

"Ao passar uma semana em casa e não manifestando nenhum sintoma, essa medida faz com que preserve os trabalhadores das unidades do contato com o coronavírus”, afirmou Dionísio Reis.

Agências sem material de proteção

Ainda há agências sem os Equipamentos de Proteção Individual (EPI). A CEE/Caixa orienta que as agências não funcionem se não tiverem o álcool em gel. A Comissão continua cobrando o banco público para que envie a todas as agências e para que repasse o cronograma de entrega dos materiais.

Campanha de solidariedade

O momento de pandemia por causa do coronavírus também é de solidariedade. Sindicatos de todo o país têm reunido forças junto aos bancários para colaborar com entidades que estão auxiliando famílias e a área da saúde que passam por dificuldades neste momento.

No Piauí, o Sindicato dos Bancários está comprando 10 mil máscaras e 2 mil cestas básicas que serão distribuídas em abrigos, casa de caridades e comunidades pobres. Além disso, a entidade colocou à disposição do governo do Estado as 46 casas da Colônia de Férias.

O Sindicato dos Bancários de Jequié e Região doou 685 máscaras artesanais de tecido e 15 protetores faciais de acetato aos profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Jequié. A ação visa contribuir com a proteção dos diversos profissionais de saúde do município que atuam na linha de frente do combate à pandemia da Covid-19.

Em São Paulo, os sindicatos filiados à Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito de São Paulo (FETEC-SP) estão realizando campanhas de arrecadação de alimentos e gêneros de limpeza, que são distribuídos às entidades e famílias menos protegidas nesta crise. Sendo de fundo próprio das entidades, ou arrecadando entre os próprios trabalhadores bancários, a quantidade de entidades e famílias alcançadas tem feito a diferença para uma grande quantidade de pessoas.

O Sindicato dos bancários do ABC de São Paulo também está arrecadando produtos de higiene, álcool em gel e roupas. As doações podem ser entregues na sede social do Sindicato ou basta enviar uma mensagem para o WhatsApp (11) 997984732, informando o endereço, tipo e volume da doação e o horário para retirada que o sindicato vai até você.

Em Curitiba (PR), o Sindicado dos bancários está arrecadando alimentos não perecíveis, itens de higiene ou dinheiro para ajudar as famílias em situação de precariedade. Ao todo, cerca de 20 mil toneladas já foram doadas para o Instituto de Democracia Popular, Casa da Resistência, Declatra, Propulsão Local e Instituto Edésio Passos.  As doações físicas podem ser feitas na Rua Piquiri, 380, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h. As doações em dinheiro podem ser feitas na conta do Sindicato (Caixa Econômica - Agência 0368 - operação 013 poupança - conta 139.797-8 - CNPJ 76.587.955/0001-59).

Busque o sindicato da sua cidade para saber mais sobre as campanhas de solidariedade

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado