Notícias

graficoRS 600x400

18/11/19 17:13 / Atualizado em 19/11/19 08:09

minuto(s) de leitura.

Campanha #ACaixaÉTodaSua será lançada em Porto Alegre nesta terça-feira

Ato está marcado para a Praça da Alfândega. Mobilização tem o objetivo de conter o desmonte do patrimônio público

A campanha #ACAIXAÉTODASUA será lançada nesta terça-feira (19), a partir das 12h, em Porto Alegre (RS). O ato, conduzido pelo Comitê Nacional em Defesa da Caixa, terá como palco a Praça da Alfândega, um dos pontos mais movimentados da capital gaúcha. Na ocasião, empregados da instituição e defensores dos bancos públicos e de empresas estatais vão formar uma rede de mobilização em defesa do banco público.

O lançamento em Porto Alegre contará com todas as entidades representativas dos empregados da Caixa e simboliza a unidade contra o processo de desmonte, fatiamento e privatização que a atual gestão já está implantando. Participam do evento representantes da Fenae, Apcef/RS, Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região, Fetrafi/RS, Advocef,  Aneac, Fenag , AudiCaixa, Social Caixa e Fenacef, além de delegados sindicais.

A campanha, que cresce e se fortalece em todo o país, tem mostrado para a sociedade que vender setores rentáveis da Caixa compromete o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Um exemplo do fatiamento da empresa ocorreu há poucas semanas com a Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex), que foi  entregue a grupos estrangeiros com preço abaixo do valor estimado pelo mercado.  Cerca de 40% da arrecadação da Caixa com loterias vão o governo federal investir em segurança pública, cultura, esporte, educação e saúde.

Para o vice-presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae), Sérgio Takemoto, é imprescindível a participação dos trabalhadores e da população nas atividades dessa mobilização. “O que esse governo tem promovido é o enfraquecimento de empresas como a Caixa com 158 anos de existência e que cumpre papel relevante para a construção de um Brasil com mais cidadania, dignidade e soberano”, afirma. Takemoto e Marcos Saraiva, diretor de Comunicação e Imprensa da Fenae, estarão presentes ao ato da capital do Rio Grande do Sul.

Rachel Weber, uma das organizadoras do evento e diretora de Juventude da Federação, esclarece que é para lutar contra a privatização do banco que irá ocorrer o lançamento da campanha nacional #ACAIXAÉTODASUA na região gaúcha. “Precisamos ter conhecimento pleno sobre esse processo de desmonte, notadamente do ponto de vista do impacto para os trabalhadores e para a população”, reitera.

Rachel Weber lembra que a Caixa está na vida de todos os brasileiros diariamente, embora muitos não tenham noção dessa responsabilidade. E destaca: “A sociedade precisa saber que a privatização, mesmo que fatiada, poderá comprometer totalmente a aplicação dos recursos que o banco administra na área social”.

“É da maior importância que todos os empregados da Caixa entendam que o momento vivido pelo país é bastante difícil, havendo a necessidade de defesa da Caixa 100% pública”, argumenta Célia Margit Zingler, diretora da Região Sul da Fenae e de Aposentados, Previdência e Saúde da Apcef/RS. Zingler lembra que cada cidadão deve cumprir o seu papel, pois a Caixa pertence a cada brasileiro. “Os aposentados também precisam envolver-se na mobilização em defesa do banco público, social e forte”, pondera.

Caixa 100% pública é uma necessidade

Na pauta desde o início da atual gestão do banco, a proposta de desestatização da Caixa tende a acelerar-se. Depois da venda da Lotex, uma sequência de Ofertas Públicas de Ações (IPO) de subsidiárias de áreas como cartões, seguros, gestão de ativos e loterias está prevista para o início de 2020, num claro indício da intenção do governo de desfazer-se de setores importantes para o orçamento do banco público.

É justamente através dessas áreas rentáveis e estratégicas que a Caixa financia menores taxas para a compra da casa própria e opera diversas políticas públicas em todas as regiões do país. No Rio Grande do Sul, a Caixa construiu aproximadamente 74 mil unidades habitacionais desde 2009 pelo programa Minha Casa Minha Vida, com investimento de um montante de R$ 2,8 bilhões.

Como instituições da cidadania, da distribuição de renda e da inclusão social, a Caixa e outros bancos públicos respondem por 68% das agências bancárias que operam em território gaúcho. São responsáveis ainda por 77% das operações de crédito e por 100% dos financiamentos imobiliários, correspondendo a um investimento de R$ 42 bilhões.

Com recursos do FGTS, a Caixa já executou R$ 34,3 bilhões em obras de saneamento, habitação e infraestrutura no Rio Grande do Sul desde 1995. Essa política de desenvolvimento social conta com o suporte de 260 agências mantidas pela Caixa no estado, estando agora ameaçada pelo desmonte do patrimônio público patrocinado pelo governo federal.

Para saber mais sobre a campanha em defesa da Caixa pública e social, acesse www.acaixaetodasua.com.br.

Serviço: Lançamento da campanha #ACAIXAÉTODASUA no Rio Grande do Sul.
Data: terça-feira, dia 19 de novembro.
Horário: 12h (meio-dia).
Local: Praça da Alfândega – Centro – Porto Alegre – RS.   
 

 

 

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado