Notícias

31/05/2012 05:10 / Atualizado em 31/05/2012 06:38

minuto(s) de leitura.

31 de maio- Dia Mundial sem Tabaco: respeite a sua saúde e a saúde do planeta

O tabagismo é responsável por aproximadamente 50 doenças. Nos países em desenvolvimento, o desmatamento devido ao plantio e secagem das folhas do tabaco corresponde a 5% do total. Para cada 300 cigarros produzidos, uma árvore é sacrificada.

Fenae Net

 Nesta quinta-feira, 31 de maio, comemora-se o Dia Mundial sem Tabaco para lembrar as pessoas os problemas causados pelo fumo. No Brasil, o alerta está voltado não somente para os prejuízos à saúde, mas também para o meio ambiente. “ Fumar: faz mal pra você, faz mal pro planeta”. A data foi criada em 1987 pela Organização Mundial de Saúde (OMS)

Desde o início da semana, atividades de conscientização estão sendo realizadas em todo o país. Amanhã, em Brasília, as manifestações se concentrarão no Espaço Mário Covas
(Câmara dos Deputados), a partir das 9h, com ações como a medição de carbono com monoxímetro, prevenção do câncer bucal, medição da pressão ocular com orientações sobre o uso e limpeza das lentes dos óculos. No Parque da Cidade, a partir das 8h, acontecerá uma caminhada.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer(INCA), o tabagismo é considerado pela OMS a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A Organização estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumantes.

O uso do tabaco provoca 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia. No Brasil, é responsável por 200 mil mortes por ano (23 pessoas por hora). O tabagismo provoca também 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos);

A presença de cerca de 4.720 substâncias presentes na fumaça dos derivados do tabaco, faz com que o tabagismo seja responsável por aproximadamente 50 doenças, como doenças vasculares, angina e infarto do miocárdio e vários tipos de câncer.

Para as ações deste ano, a OMS escolheu o tema “A Interferência da Indústria do Tabaco”. O Brasil adaptou a abordagem para o contexto nacional, enfocando os danos causados ao longo da cadeia de produção do tabaco ao meio ambiente e à saúde da população, como o uso agrotóxicos que agridem ecossistemas e fumicultores, desmatamento, trabalho adolescente e infantil, danos à saúde da população, como a dependência química à nicotina e o fumo passivo e, por consequência, o aumento do risco para o desenvolvimento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs), como Acidente Vascular Encefálico, infarto e diversos tipos de câncer. Daí, a escolha do tema nacional: “Fumar: faz mal pra você, faz mal pro planeta”.

Nos países em desenvolvimento, o desmatamento devido ao plantio e secagem das folhas do tabaco corresponde a 5% do total. Para cada 300 cigarros produzidos, uma árvore é sacrificada. O fumante de um maço de cigarros por dia consome duas árvores em um mês. Ainda que as zonas desmatadas sejam reflorestadas, não são refeitas as condições naturais quanto à flora e à fauna da mata virgem. O desmatamento está associado ainda a surtos de doenças infecciosas, e à erosão e destruição do solo.

Orientações

No portal do Inca www.inca.gov.br os fumantes encontram orientações para deixar de fumar. Os especialistas recomendam que ao decidir largar o fumo, é importante aliar essa decisão com nova rotina de vida, investindo na prática de exercícios físicos e cuidados com alimentação.

Acesse as redes da Fenae:

Acesse e conheça as vantagens de ser um associado

Veja também
Nenhum registro foi encontrado.

selecione o melhor resultado